menu

13 de janeiro de 2018 às 02:00

Temendo furtos, turistas ignoram lei e fazem da praia estacionamento em SP

A ideia de fugir dos valores altos de estacionamento e a onda de furtos de objetos e de veículos no litoral norte de São Paulo, comum durante a temporada de verão, têm levado turistas que frequentam a praia da Enseada, em Ubatuba, a estacionar os carros n

A ideia de fugir dos valores altos de estacionamento e a onda de furtos de objetos e de veículos no litoral norte de São Paulo, comum durante a temporada de verão, têm levado turistas que frequentam a praia da Enseada, em Ubatuba, a estacionar os carros na areia da praia –o que é ilegal.

O mesmo ocorre na praia de Picinguaba, uma das mais bonitas da cidade.

Para evitar possíveis furtos, alguns turistas esticam toalhas e instalam os guarda-sóis estrategicamente ao lado dos veículos.

"Estando ao lado do carro não tem como alguém chegar e levar os objetos de dentro dele, pois estamos aqui, de olho", garante o motorista Nei Pinto de França, 31, que estava com sua família ao lado do veículo, preparando um churrasco.

Há cerca de uma semana, a gerente administrativa Creuza Pereira Lambertini, 46, estacionou seu carro a menos de cem metros da praia. Dez minutos depois, retornou para buscar o celular que havia esquecido. Notou que um dos vidros havia sido quebrado e seu celular e um óculos de sol haviam sido levados.

"Moro há 22 anos na zona Leste de São Paulo e nunca sofri nenhum tipo de furto. Não imaginava que meu carro seria furtado na praia", lamentou. Ela disse que não registrou boletim de ocorrência. "Passaria horas numa delegacia e não iria resolver nada".

O publicitário Douglas Kannenberg, 28, quase teve seu BMW furtado no Réveillon, após deixá-lo estacionado na rua, também a menos de cem metros da praia. "Por sorte, o alarme acionou e quem tentou furtar acabou desistindo". Ele também não registrou a ocorrência.

CLANDESTINOS

O acesso à praia, em zona residencial, é feito por meio de algumas ruas, que nessa época, é tomada por carros de turistas estacionados sobre as calçadas e até mesmo em frente a algumas garagens.

No período da tarde, já não há espaço para estacionar, a não ser às margens da rodovia Rio-Santos, distante cerca de 300 metros da praia. Sem policiamento, os carros tornam-se alvos fáceis de ladrões que furtam todo tipo de objetos dos veículos.

Na manhã do último sábado (6) a reportagem contabilizou 14 carros estacionados na areia. "Todo dia tem carro aqui. Quando a polícia chega, fecha a saída da praia e multa todo mundo", disse um comerciante que possui um quiosque na praia, mas que preferiu não se identificar.

Além de evitar possíveis furtos, os turistas também alegam que estacionam na praia para fugir dos valores cobrados por estacionamentos, que funcionam clandestinamente em terrenos baldios, garagens de residências e cobram entre R$ 20 e R$ 25 por dia.

"A permanência dos carros na areia cria outro problema, que é o risco de atropelamento de crianças", diz Edson Alves Martins, 63, que cuida voluntariamente da limpeza de um pedaço da praia.

Arnaldo Bispo, 53, que possui um trailer de tapioca, afirma que solicita aos turistas a retirada dos carros da areia.

"Caso não atendam minha solicitação, aciono a Guarda Municipal, pois esses motoristas bebem, fazem manobras e podem atropelar algum banhista", diz.

MULTA

A Prefeitura de Ubatuba aplicou 15 multas por estacionamento irregular na Enseada desde o ano passado. Cada multa tem o valor de R$ 130,16 e o motorista recebe quatro pontos na carteira, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro.

De acordo com a prefeitura, apenas nas praias de Ubatumirim e Estaleiro é permitido, por meio de decreto municipal, transitar na areia da praia. A permissão se dá para que os moradores possam chegar às suas casas. Estacionar, no entanto, é proibido.

Na praia da Enseada, apenas moradores e hóspedes de pousadas pé na areia credenciados podem transitar para chegar às suas residências e nos empreendimentos hoteleiros, mas o estacionamento na areia também é vetado.

Procurada, a Polícia Militar não se manifestou.

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo