menu

11 de maro de 2018 às 02:00

Salão de Genebra se rende ao carro elétrico

Principal palco para o lançamento de veículos esportivos, o Salão de Genebra mostra que a eletricidade também é o futuro dos supercarros.

FERNANDO VALEIKA DE BARROS
GENEBRA

Principal palco para o lançamento de veículos esportivos, o Salão de Genebra mostra que a eletricidade também é o futuro dos supercarros.

Problemas como potência e autonomia estão ficando para trás. O croata Rimac C Two tem 1.914 cv e consegue rodar 600 km com uma carga completa de baterias -isso quando o motorista não abusa na estrada.

No estande da Porsche, a principal atração é o utilitário Mission E-Cross, que pretende rivalizar com o americano Tesla Model X.

"Se quisermos continuar a ter liberdade para guiar um carro, temos de dizer adeus a coisas que hoje associamos a dirigir", diz o alemão Matthias Müller, presidente mundial do grupo Volkswagen, que inclui a Porsche.

A profusão de automóveis elétricos em Genebra tem a ver com o rigor das legislações ambientais europeias.

Hoje, a média de emissão de CO₂ (gás carbônico) por montadora não pode ultrapassar 130 gramas por frota. O limite será ainda mais restrito em 2020: 95 gramas.

Por isso é importante colocar carros elétricos à venda: por não gerar fumaça, ajudam as marcas a se encaixarem nas regras.

Outra tendência confirmada no salão suíço é a automação. Alguns conceitos já surgem sem pedais ou volante, como o Renault Ez-Go e o Volks ID Vizzion

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo