menu

26 de janeiro de 2018 às 19:44

Elena Ferrante inspira investigações pela identidade e viagens a Nápoles

O encontro de janeiro do Clube de Leitura Folha acontece nesta terça (30), às 19h, na Livraria Cultura do shopping Bourbon Pompeia.

O encontro de janeiro do Clube de Leitura Folha acontece nesta terça (30), às 19h, na Livraria Cultura do shopping Bourbon Pompeia.

O tema da discussão é o livro "A Filha Perdida", de Elena Ferrante. A convidada do mês é Francesca Angiolillo, editora-adjunta de Cultura da Folha e autora de "Etiópia".

O clube se reúne toda última terça do mês, em diferentes livrarias da cidade, com encontros livres e gratuitos. O livro do mês de fevereiro é "Persépolis", de Marjane Satrapi.

Abaixo, um breve resumo e alguns links úteis –com críticas e análises– sobre a misteriosa escritora italiana de pseudônimo Elena Ferrante.

*

Em 2015, a coluna de literatura da Folha, "Painel das Letras", anunciava a chegada da primeira tradução de um livro de Elena Ferrante, "A Amiga Genial".

Ferrante ganhou reconhecimento da crítica e do público na Itália com "Dias de Abandono", lançado em 2002, e que virou filme, com direção de Roberto Faenza. O livro chegou ao Brasil em 2016.

A autora, que não revela sua identidade, estourou para o mundo com sua Tetralogia Napolitana, composta por "A Amiga Genial" –publicado em 2011 e que chegou aos Estados Unidos em 2012–, "História do Novo Sobrenome", "História de quem Foge e de quem Fica" e "História da Menina Perdida".

Em outubro de 2016, o jornalista italiano Claudio Gatti publicou artigo na mídia internacional defendendo teoria de que Ferrante seria a tradutora Anita Raja, casada com o escritor Domenico Starnone, autor de "Laços".

Um pouco antes, chegara ao país as traduções de "A Filha Perdida" e "Uma Noite na Praia", desdobramento em história infantil da narrativa do primeiro.

Hoje, Elena Ferrante é um fenômeno mundial, a ponto de Nápoles receber turistas seguindo os passos de suas personagens.

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo