08 de outubro de 2017 às 02:00

Educativas, brincadeiras clássicas atravessam gerações; veja livros e atrações ligados a elas

Diversões como pega-pega e pular corda seguem em alta entre as crianças; saiba por que elas são educativas e veja atrações e livros relacionados.

RAFAEL BALAGO
BRUNO MOLINERO
DE SÃO PAULO

Diversões como pega-pega e pular corda seguem em alta entre as crianças; saiba por que elas são educativas e veja atrações e livros relacionados.

-

PIÃO
Brinquedos que giram voltam à moda de tempos em tempos, com novas roupagens. Neste ano, foi na forma do "spinner", peça para equilibrar na ponta dos dedos. Usado desde a Grécia antiga, o pião foi citado por filósofos como Platão. Nas últimas décadas, surgiram variações como o Beyblade, inspirado num pião japonês. "Essas brincadeiras são transmitidas de forma oral desde a Antiguidade, antes de existir a escola", aponta Adriana Friedmann, doutora em antropologia da infância e autora do livro "A Arte do Brincar" (ed. Vozes).

*

Livro
Que tal rodar dentro de uma xícara? Ou rodopiar feito uma lágrima? Em "Parque Encantado" (FTD; R$ 40), o escritor João Anzanello Carrascoza inventa um parque de diversões imaginário, cujos brinquedos parecem rodas-gigantes nas ilustrações de Andrés Sandoval.

*

Dica
O Yupie!Park, no Cantareira Norte Shopping, faz o visitante girar. Lá, o brinquedo The King coloca os corajosos para rodar a 20 metros de altura.

Av. Raimundo Pereira de Magalhães, 11.001, Jd. Pirituba. Ter. a sex.: 18h às 22h. Sáb. e dom.: 14h às 22h. Acima de 2 anos. Ingr.: a partir de R$ 6. cantareiranorteshopping.com.br

-

BOLA
Além do futebol, jogado muitas vezes apenas com uma bola e traves improvisadas (chinelo, garrafas ou pedras são alternativas), a infância é um convite para conhecer outros esportes com bola, como queimada, vôlei e boliche, também disputados com regras flexíveis e usando objetos diferentes em novos contextos. "Esses jogos ajudam as crianças a entender as relações entre as pessoas, a argumentar com os amigos, a aprender como eu ganho, como eu perco e como lido com a vitória e a derrota", explica Claudia Ayres, coordenadora educacional do colégio Marista Glória.

*

Livro
Dizem que a grama do vizinho é sempre mais verde -mas às vezes é a bola que causa inveja. Só com imagens, "A Bola do Vizinho" (Positivo; R$ 35,50) mostra a disputa de duas crianças por quem é dona da esfera maior.
Até que o brinquedo toma conta de tudo.

*

Dica
O Paris Saint-Germain abriu uma escolinha oficial de futebol na Pompeia (zona oeste) em setembro. Há vagas para maiores de seis anos. A mensalidade parte de R$ 295.

Informações na página so-5.com/psg-academy-sp

-

PERSONAGEM
Ao brincar, a criança pode ser o que quiser: um herói, uma princesa, um explorador, um médico, um pai ou uma mãe. Assim, entende melhor como é estar em cada um desses papeis. Junto com a criação desses personagens vem o momento de inventar histórias e pequenas situações a serem representadas. Aí surge a oportunidade de apostar na imaginação e de usar objetos do cotidiano em novos contextos: uma caixa de papelão pode virar uma nave ou um barco. O lençol, uma capa de herói ou um traje de fantasma. E a sala de casa, em qualquer ambiente.

*

Livro
Willy vê um motim, encontra um coelho apressado e vai parar no estômago de um monstro. Em "Histórias de Willy" (Zahar; R$ 49,90), o macaco não só interpreta personagens -ele vive histórias de livros como "Robinson Crusoé", "O Mágico de Oz" e "Alice no País das Maravilhas".

*

Dica
Na atração "D.P.A. - Detetives do Prédio Azul", no West Plaza, as crianças fazem investigações.

Av. Francisco Matarazzo, s/n°, Água Branca. Dom. a sex.: 14h às 19h30. Sáb.: 12h às 19h30. Até 22/10. Até 10 anos. westplaza.com.br. Grátis

-

PULAR CORDA
A corda bate no chão, mas não pode encostar em quem pula. O jogo parece simples se visto de fora: duas crianças seguram a corda e uma tenta saltar. Os movimentos podem ser acompanhados por alguma cantiga por quem bate a corda. No entanto, a coisa fica mais difícil conforme a velocidade aumenta. A atividade melhora a coordenação motora e gasta calorias. Entre as variações, há aquelas em que é preciso pular duas cordas ao mesmo tempo e uma em que o fio fica esticado na altura do pescoço e cabe aos participantes tentar passar por baixo. A corda também pode servir para brincar de cabo de guerra, com os dois lados tentando ver quem puxa mais forte.

*

Livro
Quando a gente pula, fica parecendo um Saci. Esse personagem do folclore brasileiro era um dos favoritos de Monteiro Lobato, que dedicou a ele um livro: "O Saci" (Biblioteca Azul; R$ 39,90). A edição traz ilustrações da década de 1920

*

Dica
O Park Shopping São Caetano oferece atividades de circo como andar na corda bamba, fazer acrobacias e equilibrar malabares.

Al. Terracota, 545, São Caetano. Dom. a sex.: 13h às 21h. Sáb.: 13h30 às 21h. Até 15/10. 4 a 10 anos. parkshoppingsaocaetano.com.br. Grátis.

-

PEGA-PEGA
Sair correndo atrás dos amigos segue em alta. Tanto o pega-pega quanto o esconde-esconde, outra brincadeira de perseguição, são oportunidades para correr, desviar de obstáculos e explorar o quintal ou o condomínio. "Ao brincar de pega-pega, as crianças rompem o espaço. É como se elas pudessem derrubar as paredes onde ficam fechadas em boa parte do dia", diz Gabriela Romeu, jornalista especializada em infância e pesquisadora de brincadeiras.

*

Livro
Se brincar de procurar os amigos já cansou, as duas irmãs do livro "Os Sábados São Como um Grande Balão Vermelho" (V&R; R$34,90) dão uma boa ideia: que tal perseguir a chuva? Texto e imagens são feitos pelo cartunista argentino Liniers, autor de "Macanudo"

*

Dica
Um dos personagens que mais se envolveu em perseguições nos desenhos, Pica-Pau chegou aos cinemas na última quinta-feira (5). "Pica-Pau - o Filme" mostra o pássaro arteiro tentando expulsar desmatadores, em um filme com atores reais.

Salas e horários em guia.folha.com.br

-

AMARELINHA
O jogo de riscar o chão vem dos tempos do Império Romano e funcionava como exercício militar. Para as crianças, demarcar o solo ajuda a entender melhor as noções de território e os simbolismos: com alguns traços, surge um "céu" imaginário, por exemplo. As linhas deixam claro onde se pode pisar e quais partes devem ser evitadas. O jogo também ensina a contar e a manter o equilíbrio. "A amarelinha de ontem não é a mesma de hoje. As crianças reinventam as brincadeiras tradicionais o tempo todo enquanto brincam", analisa Raquel Franzim, educadora do Instituto Alana.

*

Livro
Como na brincadeira, o leitor de "A Divina Jogada" (Nós; R$ 40) vai do inferno ao céu, com uma passadinha no purgatório. A história traz um jogo de futebol, com jogadores como Brutus, Judas, Gabriel e Davi.

*

Dica
Para pular de modo radical, o Emotion Park tem 19 camas elásticas.

Trav. Casalbuono, 120, V. Guilherme. Seg. a dom.: 10h às 22h. Até 15/10. Livre. Ingr.: R$ 40. centernorte.com.br

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo