menu

08 de outubro de 2017 às 02:00

Crianças imaginam uma São Paulo menos violenta, mais limpa e cheia de árvores

Um olho na realidade, outro na fantasia. Assim vivem crianças paulistanas. Ao mesmo tempo em que estão conscientes de problemas como trânsito, assalto e poluição, sentem a falta na cidade de unicórnios e arco-íris. Mas o último há! "Eu queria muitos e tod

ANA RIBEIRO
COLABORAÇÃO PARA A sãopaulo

Um olho na realidade, outro na fantasia. Assim vivem crianças paulistanas. Ao mesmo tempo em que estão conscientes de problemas como trânsito, assalto e poluição, sentem a falta na cidade de unicórnios e arco-íris. Mas o último há! "Eu queria muitos e todo dia", explica Lara, 9. Breno, da mesma idade, sugere uma solução para o trânsito: usar as nuvens como meio de locomoção.

O ginasta João Paulo, 9, que acorda todos os dias às 5h para não se atrasar para o treino, gostaria de viver em um lugar sem moradores de rua. E ele também sonha em pilotar um dragão, para sobrevoar São Paulo e verificar lá de cima se está tudo correndo bem aqui embaixo. Para Dora, 6, que acabou de voltar de Veneza, na Itália, seria uma delícia andar de gôndola aqui como ocorre lá. Mas isso só se os rios fossem limpos. "Minha mãe disse que a água do Tietê cheira muito mal, mesmo se deixar a janela do carro fechada."

O desejo de Isabela, 6, é que existissem mais árvores com flores e frutas e que houvesse menos bandidos. Ela tem um irmão, Tiago, 2. Caio, 9, é filho único. Acabou de ganhar uma cama nova: um beliche com escrivaninha no andar de baixo. Ele acha chato que São Paulo seja uma cidade tão poluída. E preferia que fosse inteira feita de gelatina. "Eu poderia pular em tudo e, quando desse fome, comeria qualquer coisa."

*

Caio Baharlia de Souza, 9

Morador da Vila Olímpia, na zona oeste, Caio tem a vida atarefada. Estuda em uma escola bilíngue em período integral: entra às 7h e sai às 16h. "Aprendo matemática em inglês e português, geografia em inglês e português." Seus esportes favoritos são capoeira e natação. Adora jogar queimada. Nos dias livres, gosta de fazer churrasco, andar de bicicleta e fazer dobraduras de papel com seu pai. Seu sonho é que São Paulo tivesse menos poluição e contasse com um parque aquático e prédios comestíveis.

*

Isabela Akemi Futema, 6

Da janela do seu quarto, no 22° andar de um apartamento na Vila Prudente, na zona leste, Isabela faz uma constatação: faltam árvores em São Paulo. "Deveriam cortar menos e plantar mais." Faladeira, ela cita suas preferências: passear, desenhar, brincar. O brinquedo favorito é o cachorro de pelúcia Puppy, que tem lugar de honra -dorme com a dona. "Já acordo procurando ele." Outra coisa que gosta de fazer é ficar na casa da avó Maria, na rua atrás da sua, onde passa as manhãs antes de ir para a escola. Lá, há árvores com frutas.

*

João Paulo Ferreira, 9

João ficava se pendurando pela casa na Cidade Dutra, na zona sul, até a mãe dele, Cláudia, perceber que o garoto levava jeito para a coisa. Foi selecionado para treinar ginástica artística no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, da prefeitura. Para chegar lá às 7h, toma café da manhã no ônibus. Quando não há treino, anda de bicicleta com o pai e vai ao cinema no shopping Interlagos. Gostou de "Meu Malvado Favorito 3", agora quer ver "A Múmia". Ele acha que em São Paulo precisa: "Ter mais amor, mais paz e mais união entre as pessoas".

*

Lara Sgarzi, 9

Lara mantém um unicórnio cor-de-rosa em cima da cama. Gostaria mesmo é que as criaturas habitassem a cidade. A menina tem outros desejos para São Paulo: parque de diversões, praia, mais áreas verdes e brinquedos como os que viu em Londres, além de prédios feitos de sorvete e gelatina. Ah! E um shopping com produtos bem baratos, para caberem na mesada. Ela, que mora em Perdizes, na zona oeste, gosta de cozinhar e sabe preparar macarrão, bolo, pão na chapa, vitamina. Bolo de quê? "De qualquer coisa, é só seguir a receita."

*

Breno Cacioli Pestana, 9

Breno, morador da Vila Ipojuca, na zona oeste, costumava gostar muito de matemática. Hoje, anda preferindo as aulas de português. Sua mãe deseja que ele vá para a cama às 21h30, mas o menino tem outros planos. Alô, mãe do Breno: será que ele poderia ficar acordado até as 6h e dormir até as 20h? "Assim eu poderia passar a noite toda vendo filme e comendo chocolate e pipoca." Seus passeios preferidos são ir ao cinema, andar a pé e de bicicleta e visitar o parque da Água Branca. Sente falta de mais parques em São Paulo.

*

Dora Alves Marson, 6

Na porta do apartamento de Dora, em Santa Cecília, na região central, um pedaço de papel colado anuncia: Banda Dora - ARDO. Ela explica: está tomando aulas de música e quer criar uma banda com as amigas. Coloca um LP dos "Saltimbancos" na vitrola e começa a contar suas histórias. Na sua solução para melhorar a cidade, as ruas ficariam para as pessoas, e as calçadas, para os carros. Assim, haveria espaço pelo caminho para um circo, uma sorveteria e um parquinho, com gente passeando, como no desenho que fez a pedido da sãopaulo.

Fonte: FOLHA

comentários

Estúdio Ao Vivo